A vida no planeta Marte e a mediunidade.







Documentos da CIA falam sobre pirâmides e civilização extinta em Marte Registros descrevem estruturas erguidas em pedra e seres muito altos e magros. 

 A Agência Central de Inteligência dos EUA, a CIA, voltou a tornar pública uma série de documentos em janeiro deste ano - 
no total são mais de 12 milhões de páginas. 
A informação contida neles está relacionada à atividade da agência em momentos cruciais da história, como o Golpe de Estado de 1973 no Chile, a Guerra do Vietnã e a Guerra Fria. 
Entretanto, um arquivo que data de 22 de maio de 1984 possui informações completamente distintas e surpreendentes. 
 Trata-se de um experimento realizado pela CIA junto com um médium, intitulado “Investigação de Marte”. 
O mesmo consistia em entregar ao vidente um envelope lacrado, contendo uma data (1 milhão de anos antes de Cristo) 
e um lugar (planeta Marte) e lhe indicando apenas algumas coordenadas geográficas: 40,89 graus de latitude norte e 
9,55 de longitude oeste. 
 Ao se concentrar nessas informações, o médium afirmou ter uma visão sobre uma pirâmide ou uma coisa com forma piramidal de cor amarelada, de altura elevada, 
localizada em um território vasto e deserto. 
Ele também disse ver nuvens de tempestade escuras no céu, grandes estruturas megalíticas e 
sombras de pessoas muito altas e magras.
 As coordenadas dadas ao médium correspondiam a uma região de Marte chamada Cydonia Mensae, onde os ufologistas têm detectado, frequentemente, objetos misteriosos com formas piramidais em imagens de satélite.