FUGINDO DO MUNDO ATRAVÉS DOS SONHOS - POR EMERSON C MATOS



Não vás tão docilmente nessa noite linda. 
A velhice queima e clama ao cair da noite ao findar de mais um dia. Novas rugas nascem e as certezas morrem.
 Durmo. 
Durmo, lutando contra a pequena luz da vela que teima em tremular impingindo cores e 
formas na parede. 
O verdadeiro sábio sabe que o fim da vida é bem vinda desde que se a tenha muito bem vivida.. 
Sem remorsos ou ter ficado encravado no peito ou até mesmo na alma aquilo que deixamos de fazer.
 Durmo.
 Durmo para que pelo menos embalado em meus sonhos eu tenha instantes de felicidades amores alegrias sem fim que somente tenho com meu corpo em repouso consegue ter pois assim minha alma liberta das prisões da carne livre jo espaço se põe a contemplar as belezas sem fim do universo infinito obra divina de um ser celestial que com sua misericórdia suprema me da o direito de viver momentaneamente no paraíso, sonho e o
 sono para lhe visitar.. 
Por isso durmo. 
Durmo e me ponho a sonhar. 
Por Emerson C Matos.